quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Maria da Conceição não dormiu

Puxa, fico até emocionada -- ou mais preocupada ainda: Maria da Conceição também não dormiu...

Dica da Vera. Valeu!

***
MARIA DA CONCEIÇÃO TAVARES

"Entupiu o sistema circulatório do capitalismo. É preciso agir rápido, antes que ocorra a trombose"


Em entrevista à Carta Maior, a economista Maria da Conceição Tavares fala sobre a crise. “As autoridades monetárias de todo o mundo têm que intervir rápido, antes que se forme a pior das bolhas, a de pânico, que é essa que está em curso", adverte. Para ela, o Brasil tem algumas vantagens importantes para enfrentar a crise, entre elas a existência de três fortes bancos estatais e pelo menos três grandes empresas públicas de peso, salvas do ciclo de privatizações desfechado pelo governo anterior. Isso dá ao governo instrumentos para intervir fortemente no mercado.

Redação - Carta Maior

Decana dos economistas brasileiros, uma espécie de banco de reflexão de última instância ao qual se socorrem economistas quando o horizonte do mercado exibe mais interrogações que cifrões, a professora Maria da Conceição Tavares, 78 anos, quase não dormiu na noite de terça para quarta-feira. E voltou a fumar, muito, o que não deveria, por orientação médica. Motivo: os abalos seguidos nos alicerces do sistema capitalista norte-americano e seus efeitos sísmicos no mundo, inclusive no Brasil.

Conhecida pela rara capacidade de equilibrar razão e paixão – não necessariamente nessa ordem - , costuradas em frases contundentes e metáforas esmagadoras sobre os desafios da economia e do desenvolvimento, Conceição falou à Carta Maior sobre a crise em curso no sistema capitalista. A voz rouca e o cansaço de uma noite insone não impedirem que reafirmasse a reputação construída a partir de uma lucidez corajosa, que mesmo os adversários respeitam - e temem.

A seguir trechos de sua conversa com a Carta Maior:

“A questão central é que o crédito está congelado: entupiu o sistema circulatório do capitalismo. Sem crédito uma economia capitalista não funciona. Agora é torcer para que o entupimento não se transforme em trombose”.

“O Martin Wolf foi lento (NR: editor do Financial Times, conhecido pelas convicções neoliberais que, em artigo transcrito hoje pelos jornais brasileiros, pede um resgate estatal urgente, e amplo, do sistema bancário). Assim como ele, as autoridades norte-americanas também foram lentas. Demasiado lentas. Vão dizer que não sabiam o tamanho do estrago? Ignoravam a gravidade da bolha especulativa feita de hipotecas podres e derivativos, cuja soma vai além de US$ 6 trilhões, sem falar do resto? Como não sabiam? Eles são gente de Wall Street. São escolhidos entre os “piranhões” do mercado. Não podem dizer que não sabiam. O problema não é esse. O problema é que eles acreditam no mercado. Essa é a tragédia. Esperaram até o limite da irresponsabilidade para intervir. Aí perderam o controle e estão diante do pânico: ninguém empresta a ninguém, entupiu o sistema circulatório do capitalismo”.

“Agora tem de fazer isso mesmo, estatizar parcelas abrangentes do sistema financeiro; implantar safenas. Não é isso que estão fazendo? O FED já começou a descontar commercial papers direto no mercado. Tem que intervir largamente, e rápido. Eles são o centro da crise mundial. Mas um pânico financeiro não respeita fronteiras”.

“O problema do Brasil não são os fundamentos, que no geral são bons. Mas aqui também foram feitas operações especulativas por grandes empresas exportadoras. Ou será que a Sadia e a Aracruz agiram solitariamente? Não agiram. Não foram exceções. Foram irresponsáveis. Não se contentaram em contratar hedge (seguro) contra a variação cambial. Quiseram apostar quantias fantásticas na variação futura do câmbio e apostaram errado. Jogaram na valorização do Real o que é insólito, diga-se. Como exportadores deveriam engrossar as vozes que pediam maior competitividade da moeda brasileira. Mas apostaram. erraram e isso abriu rombos que a Sadia, felizmente, já reconheceu no seu balanço. Digo felizmente porque não pode pairar dúvidas no mercado sobre o tamanho e a abrangência desses prejuízos ou isso gera incerteza e a desconfiança bate nas taxas do dólar.”

Íntegra aqui.

6 comentários:

Truda disse...

Marinilda, olha o que acabo de receber no ex-blog do Cesar Maia:

"Uma grande chamada na capa do Globo diz: "Paes e Picciani negociam apoio de Crivella". Este Ex-Blog já demonstrou que o crescimento do PMDB no primeiro turno se deu em duas etapas: primeiro pela visibilidade de uma campanha bilionária e depois pelo voto útil antecipado contra o Crivella. Agora a visibilidade é igualada pelo tempo de TV e debates. E a associação a Crivella terá seu preço, que é o fortalecimento da IURD e seus instrumentos.

A disputa pela Prefeitura do Rio no segundo turno começa empatada, revela pesquisa Datafolha realizada ontem e anteontem. O candidato do PV, Fernando Gabeira, tem 43% das intenções de voto contra 41% de Eduardo Paes (PMDB), a 18 dias do pleito. De acordo com o Datafolha, entre os eleitores que disseram ter candidato no segundo turno, Gabeira herdou mais votos entre os eleitores de Jandira Feghali (PC do B) e de Solange Amaral (DEM), candidata do prefeito Cesar Maia, que já anunciou apoio ao deputado federal."

Com qual você prefere votar: Cesar Maia ou Edyr Macedo?

mari disse...

Pois é, o DEM apoiou logo no primeiro dia. Por isso escrevi lá embaixo que votaria no Gabeira de mãozinha dada com o Cesar Maia. É duro, mas Eduardo Paes não dá. Quem mandou chamar o Lula de chefe de quadrilha? Tenho memória e não perdoo.

Truda disse...

E eu não consigo esquecer o que Gabeira publicou na Folha em 2005:

"comparar a ditadura com o governo Lula: uma neutralizou o Congresso pelo medo; o outro, pelo pagamento de mesada. Ditadura e governo Lula compartilham o mesmo desprezo pela democracia, ambos violentaram a democracia reduzindo o Parlamento a uma ruína moral."

Quer dizer, se não fosse o governo Lula, nosso parlamento seria um exemplo para o mundo. Pra mim, esse Gabeira não passa de um oportunista da pior espécie, o tipo de político que não livra a cara de ninguém, só a própria, para tentar parecer que foi o único honesto que a natureza, num dia especialmente iluminado, conseguiu produzir, o sal da terra. Vou passar bem longe das urnas nesse segundo turno.

mari disse...

Pô, e eu achei que tinha memória... ele fez isso mesmo! ainda assim, é diferente do Eduardo Paes. Aceito críticas ao Lula, eu mesma cubro "Nosso Guia" de críticas. Meu problema com o Gabeira -- que não é o único honesto, mas é um dos mais honestos -- é estar coligado ao PSDB. Isso é que me derruba.

Truda disse...

Pra mim, estar coligado ao PSDB não é tão grave. Peço aos deuses que não permitam oportunismos e iluminem quem for eleito para fazer o Rio de Janeiro feliz.

mari disse...

Já fui atendida no que pedi aos deuses: que o crivela não passasse. agora, seja o que os demônios quiserem...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...