sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Vão estudar!

O Politico (tem gente que respeita) pediu desculpas por uma matéria ridícula de 25/11 que "rebatia" de forma patética o quê? O aquecimento global! (Aviso logo: não reproduzo essas obscuridades nem dou link, quem quiser que procure; só o Globo merece tal deferência, porque tenho prazer particular em depreciar esse pasquim seboso). Claro que a partir de protestos (as desculpas do Politico.com, não minha prazerosa depreciação do Globo).

Fico impressionada com a quantidade de pessoas, instituições e publicações que desrespeita a ciência (por favor, ciência, tá?, não me refiro à escória que usa métodos e tecnologias fingindo que faz ciência). É como se vivêssemos nos tempos de Copérnico ou de Galileu, para ficar na astronomia. E tome de criacionismo, de "ceticismo" no aquecimento global, de proibição de experimentos com células-tronco, de negação do aborto como questão de saúde pública e por aí vai. Resulta num imbróglio medieval permanente, que engessa governos, retarda o avanço da pesquisa, intimida jovens cientistas, acorrenta um país! Tudo ideologicamente associado ao conservadorismo "cristão" -- isso deve ofender profundamente o coitado do Cristo, um sábio, dizem... --, que quase queimou Galileu na fogueira da Inquisição e nos Estados Unidos jogou bomba em clínica de aborto ou chama Barack Obama de "baby killer".

Nada muda, mais de 3 séculos depois de Galileu?! O que fazer com essas quadrilhas do atraso, meus 4 amados leitores, criaturas sofredoras desta Terra vã e molesta? Elas encurralam uma nação! E menos entendo que um veículo de imprensa, por natureza de função social -- a informação de interesse público -- abra espaço a esse esgoto.

Sinceramente, é de pedir pra sair.

***
Esqueci de acrescentar: esses temas todos não são questão de opinião, não são objeto de referendo, não têm que ter aprovação de igrejas. Não se pode ensinar criacionismo na escola, do mesmo modo que não se pode entregar a quem quer que seja a decisão sobre aborto, que é problema privado da mulher e de seu parceiro. A fronteira é a ética -- em nossos tempos, a bioética.

7 comentários:

Ruy disse...

A humanidade é canalha!

mari disse...

Saramago concorda! Tá na Folha de hoje:

Ilustrada
A humanidade não merece
a vida, diz José Saramago

Truda disse...

Marinilda, eu me sinto no Olimpo ao lado de tão seleta companhia. Mas a verdade é que limitando este blogue a tão poucos leitores você presta um desserviço à humanidade do qual ele é preciosíssimo patrimônio.

Ruy disse...

Volta e meia, eu me flagro a pensar como o Saramago. Outras vezes, capturo o ilustre ribatejano a vociferar idéias que julgava serem só minhas.

Enquanto constato e zombo, ele esbraveja e se irrita. Diferimos na forma de reagir às ações individuais e coletivas. É cinismo versus mau-humor.

Coisas da vida.

mari disse...

A saída é a humanidade tomar jeito. Sunny diz que sou romântico, mas acho que estamos melhorando. Lênin percebia: um passo à frente, dois atrás. E assim vamos, aos solavancos, espasmos e soluços. Chegaremos lá. Cinismo e até mau-humor fazem parte! :-)))

Trudinha, tenho medo que me pelo da direita hidrófoba voltar. Não suporto mais aquelas provocações, não tenho mais idade.

Vera Silva disse...

Uma parte muito grande da humanidade, parece-me, ainda não conseguiu juntar mente e corpo. Daí nasce o fundamentalismo, no meu entender, sempre burro e fascista. Concordo com você que "esses temas todos não são questão de opinião, não são objeto de referendo, não têm que ter aprovação de igrejas".

Sunny disse...

Prá quê a hidrófoba se a própria já assumiu?

Qto ao post aí debaixo, não esquenta: não existem deuses, só Alá, o misericordioso. Ou será o senhor é meu pastor e nada me faltará?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...