terça-feira, 17 de agosto de 2010

É uma onda!

Poucas vezes na vida vi um fenômeno como este chamado Dilma Rousseff. Nada que a oposição e o PiG façam contra ela dá certo, nada. O último exemplo é a capa da Época. O que na visão doentia do Ali Kamel geraria percepção negativa sobre a história política da moça resultou numa onda impressionante de resposta positiva. Em toda parte as pessoas usam a imagem estilizada da tal capa! Lá no Nassif vários comentaristas trocaram a foto pela da Dilma, inclusive eu, que estou usando a do Bruno.

***
Acabo de ler o seguinte no Azenha:

Do Valor Econômico: O Vox Populi permanece impedido de divulgar sua pesquisa mais recente referente às eleições presidenciais. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o julgamento relativo à suspensão da pesquisa não tem data marcada. No mercado financeiro, falava-se ontem que resultados não registrados do instituto apontavam que a diferença entre Dilma e Serra já chegava a 16 pontos percentuais: 46% para a petista contra 30% do tucano.

PS do Viomundo: A proibição foi pelo fato de o instituto não ter incluído o nome do candidato Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, nos questionários.

***
Gostaram do programa eleitoral da Dilma? Não ameeeei, mas gostei de alguma coisa -- ela falando de vestido branco estava ótima -- , e deve melhorar. O do Serra foi bom: ele conseguiu sorrir um pouco sem "alarmar" (o verbo é da Economist, não meu).



Agora, chorei com o jingle longo. Muito emocionante. No campo oposto, o programa de rádio do Serra causa revolta porque um personagem meio que imita a voz do Lula.

***
Piada que rola: qual a difereça entre Serra e Neymar? Nenhuma. Ambos não disputarão o segundo turno.

***
Tá ficando gostosa essa onda!

***
Revi o vídeo agora e não é que eu amei? Cara, fico muito nervosa e nem reparo direito nas coisas. Foi muito bom!

***
Interessante um texto de Marcos Coimbra (é, aquele) no Correio Brasiliense.

Dois tipos de pessoas ficam inconformados com essa previsibilidade. De um lado, quem não gosta do candidato que lidera e quer que ele (ou ela) perca. Imaginando que, na ausência de “fatos novos”, seu preferido será derrotado, fica à procura deles, torcendo para que apareçam. Reza para que os debates, as entrevistas na televisão, um escorregão, uma declaração polêmica, sacudam tudo e mudem as tendências que estão em curso.

De outro, os jornalistas. Existe coisa mais aborrecida que repetir a mesma manchete todo dia, dizendo que tudo está igual? Que a eleição continua tão previsível hoje quanto há meses? A imprensa precisa de notícias, de preferência surpreendentes. Sem “fatos novos”, fazer o jornal é mais difícil. Por isso, os jornalistas os amam.

E os jornalistas que não querem a vitória de quem está na frente? E as empresas de comunicação que têm simpatias por quem está em segundo ou terceiro? Aí, se os fatos novos teimam em não surgir, a tentação de criá-los é grande.

Inutilmente, pelo que conhecemos de nossas eleições presidenciais anteriores. Quando a maioria do eleitorado cisma que vai votar em alguém, não há “fato novo” que a mova. É como fogo de morro acima. Ou água de morro abaixo.

6 comentários:

sunny disse...

Odete Roitman apoiando o Serra? (pagina 2 do gro*bosta hoje. Eu não mereço!

mari disse...

Odete Roitman? Mas quem é Odete Roitman? A atriz (Beatriz Segall?)? Ela não morreu?

Truda disse...

Quem morreu foi a Odete Roitman.

mari disse...

Hehehe, sim, claro. É que pensei que a atriz também tivesse batido as botas. Mas vem cá, que importância tem Beatriz Segall? Maitê Proença, Elba Ramalho, tudo é Serra. E daí?

sunny disse...

Mari, a Odete Roitman (alter ego da Beatriz Segall) ficou conhecida como a maior vilã da novela Vale Tudo. Agora, a atriz que todos identificam como vilã tá apoiando o Serra. É mole?

mari disse...

Eu entendi, querida, só achava que ela já tinha morrido. E é como se estivesse, coitada. A posição dela não tem o menor peso. Até a Elba Ramalho desmentiu apoio, hihihi...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...