segunda-feira, 8 de março de 2010

Kathryn Bigelow!!!

The hurt locker detonou Avatar! Muuuuuito bom, torci demais. A Bigelow é a primeira mulher a ganhar um Oscar por direção, sem contar que é uma mulher fazendo filme de guerra. E foi casada com James Cameron, o diretor de Avatar... Hihihi, foi barba, cabelo e bigode!

Os produtores do filme, por sinal, estão sendo processados pelo sargento Jeffrey Sarver, a quem o roteirista Mark Boal acompanhou durante 30 dias no Iraque, em 2004, segundo ele para escrever um artigo para a Playboy. Depois, resolveu fazer o roteiro, sem compensar o pobre sargento. Se foi assim mesmo é claro que ele vai levar uma grana, mas no lugar dele eu escreveria outro roteiro. Esse tema é espetacular.


Não posso deixar de falar DE NOVO do tal Rubens Ewald. Que poia... "The hurt locker não denuncia a guerra, diz que a guerra vicia". Que ridículo, além de não entender o filme cobra cinema-militância... Ou "Hollywood deu um tiro no próprio pé tirando de Avatar o Oscar de melhor filme: a academia mandou um recado, de que gosta de filmes baratos. Então, para que fazer grandes produções de 250 milhões de dólares?" Pode um raciocínio desses? Quer dizer que Oscar tem que ir pro filme mais caro, não pro melhor? Que sujeito torturado... Pelo menos hoje ele não emitiu nada hediondo em matéria de preconceito.

***

Para completar, The cove levou o Oscar de melhor documentário!

***

O jornalismo está mesmo mudado. Nesta segunda, uma apresentadora da Globonews fez a pergunta do "tiro no pé" ao José Wilker na maior cara de pau, sem ao menos dizer que era uma observação do comentarista do canal TNT, que exibiu a cerimônia no Brasil. Rouba-se ideia alheia sem crédito ou escrúpulo algum.

7 comentários:

Bruno disse...

E ainda foi a mulher mais bonita da noite. Comecei a ver Guerra ao Terror quando a cerimônia acabou, mas só cheguei aos 45 minutos. Continuo hoje.

mari disse...

baixei e vou ver agora The blind side. se for ruim boto a culpa no Lucas... :-)

Fiquei triste pelo District 9: nao levou nadinha; nem os Basterds...

Agora, Up in the air ficou com essa bola toda só por causa do George Clooney, né? O filme é até bom, mas...

Sunny disse...

Chatissima, a cerimonia do Oscar, so valeu mesmo pela chiquerrinha Katherine e pelo banho que deu no seu ex-Titanic. Sem comentarios o tb chatissimo Rubens Ewald e sua torcida por Avatar. Poia.

Nao sei se é o efeito Obama, mas nunca vi tanto negro em cerimonia de Oscar. O que era aquilo a atriz de Precious, e sua mãe? Podem ser boas atrizes - a mãe Mo'nique (???) ganhou o de melhor coadujuvante, merecido - mas a cara de Precious ocupava a tela inteira da minha TV.

Boas, as sessões-elogio, embora alguns se mostrassem visivelmente embaraçados. So se salvaram o maravilhoso Tim Robins e a dupla Molly-Matthew homenageando o falecido diretor.

Maravilhoso, o premio para los hermanos. Alguem sabe como baixo?
Idem para o dos golfinhos (a tela cheia de sangue me lembrou o massacre dos bebes-foca, lembram daquilo?)

Por fim, o que eram feios os vestidos das moçoilas? Só se salvou mesmo a Katherine, a mais chique da noite, alem ter ganho DOIS oscares.

Desculpem, acabei pegando carona no blog da Mari, mas não resisti.

mari disse...

Ué, ótimo vc comentar! Achei o máximo ver tanto negro na audiência, ainda bem que não é mais apenas Sydney Poitier e, recentemente, Spike Lee! Black people rules!

Não tenho coragem de ver Precious; e a Oprah tem obrigação de salvar a vida da menina, porque aquilo é gravidez mórbida ao extremo. Não basta produzir o filme dela, tem que salvá-la! Pensei que ela fosse aparecer bem mais magra na cerimônia, mas engordou mais ainda dp do filme.

Detestei a cerimônia toda, todinha, inteira, só me interessavam os resultados. Um porre os agradecimentos, um tédio os elogios, só o Tim Robbins se salvou porque esculhambou o Morgan Freeman, que ousava pedir cafezinho a ele, "Ted" -- trocava o nome do cara, será a idade??? -- não sei em que set de filmagem. Fiquei um pouco frustrada com o Morgan, eu simplesmente adoro ele.

Quanto à Kathryn, um show! Não suportava mais a tensão, torci demais!!!!!! Já pensou a tensão do Cameron???

mari disse...

Alô, em lugar de gravidez leia-se OBESIDADE!!! (é a idade...)

Sunny disse...

Foi "Um sonho de liberdade", baseado em um livro de Stephen King.O Tim faz um detento que conquista os guardas fazendo o IR de todos, até do diretor, e consegue fugir depois de enrolae todo mundo. O Morgan era um condenado a prisão perpetua, "convencido" pelo Tim a se "arrepender" e obter assim condicional.
A cena do final é memoravel: o reencontro dos dois em uma praia do México.
Passa as vezes na TV e recomendo.

mari disse...

Ahhh, eu vi, muito bom! O Morgan manda o Tim encontrar um tesouro, se não me engano, que está num muro ou perto de um muro. Muito maneiro mesmo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...